Viajando para Moscou | Rússia

Oi gente! Mais um post de viagem, que aliás se tornou um dos meus hobbies favoritos nos últimos anos. Agora morando em Dubai, ficou bem mais fácil e mais barato conhecer os lugares mais próximos aqui na Ásia. Bom, eu queria passar um Natal diferente e de preferência com frio e neve! Foi aí que eu e o meu marido pensamos que teria que ser um lugar legal e que não tivesse tantas horas de vôos, já que não tinhamos muitos dias. Então resolvemos passar o nosso Natal em Moscou!

Pra começo de conversa os Russos não comemoram o Natal no dia 25 de dezembro. O calendário deles é um pouco atrasado e segundo a Igreja Ortodoxa Russa é comemorado no dia 7 de janeiro! Mas isso não era problema para nós, pois só queríamos mesmo era ver a neve e beber vodka igual água! hahaha

O que levei na mala? Baseado no que lí na internet, levei tudo de mais quente que eu tinha: 1 casaco, 1 casacão estilo sobretudo, 2 blusas de linho de manga comprida, 2 vestidos curtos de mangas longas, 1 calça jeans, 1 legging, 2 meias grosas, 2 botas (uma de cano curto e outra de cano super longo), 2 cachecóis grossos, 1 luva, 1 gorro de lã e 1 pashimina. Quando chegamos lá eu comprei mais uma luva e mais um gorro bem mais quentes, pois eu quase congelei com os meus! Vai uma foto de um dos nossos looks! ( que na verdade foi praticamente o mesmo durante a viagem rs )

O segredo para não sentir frio é se vestir em camadas. Abaixo, olha a foto de como eu me vesti para sair à noite. (fotos do meu snap: paty_sampaio)

Como lá o inverno é rigoroso, todos os lugares possuem porta casacos. E eu amei isso, pois achei que ia ficar igual um esquimó cheia de roupa dentro da boate hahaha. Aí você pode usar o que quiser por baixo de tudo, e lá você tem onde guardar as roupas quentes! 

1º DIA

Pegamos um vôo da companhia aérea Aeroflot de Dubai para Moscou ( Sheremetyevo aiport ). E depois de 5 horas, chegamos na capital Russa. Do aeroporto pegamos um taxi para o nosso hotel Mercure Arbat, que é muito bem localizado, próximo a praça vermelha, o ponto turismo principal. O atendimento foi ótimo, wi-fi funcionando, confortável e o valor foi super em conta para um 4 estrelas 🙂

Vista da janela do nosso quarto de hotel.

Chegamos logo pela manhã, deixamos as malas no hotel e saímos para a rua. Não tinhamos um roteiro certinho, só pegamos algumas indicações de lugares para ir com alguns pontos principais turísticos. Fomos andando até a famosa Red Square ( A Praça Vermelha ). No caminho me encantei com a cidade gelada.

O interessante lá, é que é cheia de passagens subterrâneas, que servem para atravessar as grandes avenidas e também aliviam um pouco o frio. Você encontra até algumas lojinhas lá em baixo e algo pra comer.

Chegamos na praça principal, ela é maravilhosa gente! Fazia em torno de 5º graus e depois só foi caindo a temperatura. Bom, ainda não tinha a neve que esperávamos, mas o frio que sentimos era equivalente vai.

Fomos conhecer a Catedral de São Basílio.

Não tem como não se apaixonar por toda essa arquitetura mista de cores e formatos maravilhosos. Acredito que seja o monumento mais conhecido de Moscou.

Por dentro ela também é encantadora com toda sua história. A entrada custou 300 Rublos por pessoa.

Além dos famosos prédios históricos, tinha também um parque montado bem no meio da praça. O melhor de tudo eram as barraquinhas vendendo comida, bebidas quentes e outras com alguns artesanatos. Comemos por ali mesmo deliciosos waffles de chocolate, hot dog e tudo de mais gordo que tinha! Afinal a gente faz dieta o ano todo pra poder comer nas férias né não? Estava tudo tão lindo, gelado e enfeitado com temas natalinos. Um sonho!

Eu e a minha mania de fotografar bebês alheios, pelo simples motivos que eles são fofos e me dá vontade de apertar cada um deles até eles chorarem. Além de lindos eles pareciam uma mini bolinha com tantas roupinhas de frio. Oinnnnn

Bom, continuando… Pegamos um metrô (não me pergunte como) para ir ao Museu Bunker 42. Fomos tentando decifrar o nome da estação igual dois analfabetos kkkk, sério, dava raiva não poder se comunicar direito! As estações são verdadeiros museus de arquitetura russa soviética e contemporânea. Em profundidades inacreditáveis que vão de cinco a oitenta metros. Dá só uma olhada nessa escada rolante! Não tem fim.

Chegando no Bunker 42, demos de cara com esse portão e um interfone…

Daí um moço no interfone disse: “K3jxnakdmfjirfkAnfewr” E a gente: “Quê moço, que se tá falando aí???” haha Então ficamos lá parados na porta e ele desligou na nossa cara. Daí veio um grupo de turistas Russos e entraram, foi aí que fomos no bonde e entramos junto. Depois de muito custo, achamos alguém que falava inglês e agendamos um Tour em “english” para o dia seguinte! Ufa, menos mal rs!

O PROBLEMA DA LÍNGUA: O mais complicado nessa viagem foi a língua, os Russos não falam inglês e não fazem nenhuma questão em te ajudar. Ou seja, tivemos que nos virar nos 30 para descobrir os lugares sozinhos!

DICA: Se você não tiver internet no celular, compre um chip por lá e use o Google Maps para se localizar. Sem isso, ou sem alguém que fale russo com você, a chance de se perder é 99%. As placas, o metro, os taxis…. são em Russo! Isso foi uma das coisas que me frustou um pouco.

Para pegar taxi também é meio louco, pois qualquer carro pode ser um taxi, é só negociar o valor com o motorista. ( Isso é, fazendo mímica ou escrevendo o valor no papel, pq eles não entendem mesmo ) Já vai com o nome do endereço ou do lugar escrito em Russo para mostrar para o taxista.

Voltamos para o hotel para descansar um pouco. Depois nos arrumamos para conhecer a vida noturna e curtir o nosso Natal diferente. Queríamos ver neve e nesse tinha alguma chance de nevar na previsão do tempo.

Fomos a um bar chamado Barbados Bar, por indicação de um amigo. Não estava muito cheio por ser em uma quinta feira, mas deu pra se divertir, comer e beber VODKAAA.

Saímos de lá depois de um tempo e tentamos ir para um outro pub que não me lembro o nome. Na entrada era somente um portão e um interfone ( já pensei: não vamos entrar) Daí alguém atendeu disse meia palavra em russo e depois mandou um CLOSED! Sendo que dava pra ouvir o barulho da musica alta rolando lá dentro! Fomos embora para o hotel com muita raiva desses Russos. E nada de neve também!

2º DIA 

Acordamos cedo 11h00 rs e fomos para a praça vermelha novamente conhecer o Kremlin por dentro, pois no dia anterior estava fechado.

O Kremlin é uma fortaleza que possui vários monumentos do seu interior incluindo igrejas, palácios e museus.

Não me lembro quanto foi a entrada, acho que custou 500 Rublos cada um também. Mas acho que compramos o pacote simples que dá entrada somente ao Museu do Arsenal. O pacote completo era 700 Rublos acredito. Andamos tudo lá dentro até encontrar o único museu que podíamos entrar rs.

Entramos no Museu do Arsenal, onde tinha uma variedade de antiguidades de séculos passados incluindo armas, peças de prata, jóias entre outros.

Mas o que mais me chamou a atenção foram essas carruagens antigas e as vestimentas da moda de época. Nem podia tirar foto lá dentro, mas eu tirei mesmo assim! #patyrevoltadacomosrussos

Saímos do Kremlin e fomos andando ao redor dele do lado de fora.

Vimos a chama que nunca se apaga, conhecido como a tumba do soldado desconhecido. Representando os soldados mortos na segunda guerra mundial.

Saindo de lá, fomos almoçar num restaurante logo em frente a entrada principal do Kremlin. O Bar BQ Café. Super indico! O atendimento foi ótimo, falavam inglês, tinha wi-fi e a comida estava divina!

Após nosso almoço, fomos finalmente conhecer o Bunker 42. Pra quem não sabe, o Bunker 42 é um dos esconderijos criados na era Stálin para acomodar até 600 pessoas no caso de uma bomba nuclear. São 67 de profundidade de muita história sobre a guerra fria e várias coisas interessantes.

Salas onde os oficiais trabalhariam em caso de uma bomba nuclear.

Protótipos de bomba e mísseis.

Escritório do Stálin.

Objetos antigos soviéticos.

Nesse túnel eles fazem uma simulação de como seria em caso de um bombardeio na superfície.

Eu levei maior sustão com o barulho “bomba fake” que eles soltaram rs. Meio tenso essas coisas.

Acho que super vale a visita. Mas tente reservar seu ingresso com antecedência para a visita guiada em inglês. O ingresso custou 1.400 Rublos por pessoa.

Depois que saímos de lá, já estava escurecendo, a partir das 16h já começa a escurecer. Então decidimos voltar a praça vermelha para ver como ela fica à noite.

E foi a melhor coisa que fizemos, ela fica linda toda iluminada!

 

Estava um frio do cacete, mas neve que é neve nada ainda!

Depois comer novamente as delícias por lá, voltamos ao hotel. Saímos a noite para conhecer um outro pub indicado por amigos também.

FACE CONTROL – Nas casas noturnas não se paga para entrar, mas tem um tal de face control que seleciona quem entra e quem não entra na balada. O que pode causar situações bem desconfortáveis.

Não fomos barrados, mas na porta da casa noturna Jagger por exemplo, os seguranças falavam em Russo com a gente, meio que não querendo a nossa presença, tipo, parecia que só quem é Russo entra e turista não. Foi aí que veio uma mulher lá de dentro, olhou nossas roupas de cima em baixo e disse “OK”. Já fiquei P da vida com isso, palhaçada cara.

O bar estava cheio de mesa vazia com plaquinhas de reservado (em inglês claro) e ninguém chegava pra sentar naquela bosta… Nós queríamos jantar e beber, e tivemos que fazer isso no balcão do bar em pé, pois nenhum garçom quis deixar a gente sentar! Raivaaaa master. Desculpem, mas quero deixar clara aqui a minha antipatia pelos Russos!

Mas quem faz o lugar são as pessoas, então nós nos divertimos mesmo assim!

Mas a melhor coisa aconteceu quando saímos do Jagger! Adivinha?!!!

Estava nevandooooo!!! Glóriaaa

Ficamos muito felizes, gritando NEVE, NEVE, igual dois loucos na frente do bar.

Fomos para outro bar que descobrimos em frente ao nosso hotel. Esse sim era muito bom, estilo irlandês bem aconchegante! Ficamos lá sentadinhos perto da janela bebendo guinness e vendo a neve tímida cair na rua.

Não nevou a ponto de fazer boneco de neve, mas valeu pra gente!

3º DIA

Sempre deixo o último dia para compras. Na verdade não fizemos tantas compras assim, eu só queria mesmo algumas lembrancinhas e comprar a famosa matrioska.

Essa bonequinha russa que você vai abrindo e vem uma dentro da outra. <3 Elas simbolizam fertilidade e maternidade. Tem de todos tamanhos e variadas cores.

Fomos andando pela antiga rua Arbat, que era na rua do nosso hotel. Lá você encontra uma variedade de restaurantes, supermercados, lojinhas e até museus.

Também compramos aquele tradicional gorrro russo, vodka, chocolates e pequenas lembrancinhas.

Tivemos que entrar nesse restaurante mega engraçado: O Crazy Toilet

Um restaurante bem diferente, com o tema banheiro. Super louco isso!

A mesa era uma banheira cheia de patinhos, os objetos de decoração eram florzinha em jarrinhos coloridos, o guardanapo era papel higiênico kkk e as cadeiras, claro, eram privadas com uma almofada de cocô em cima! kkk

O cardápio tinham algumas opções de comida normal, porém eram servidas em tigelinhas que imitavam vasos sanitários, bidês, pinicos e tudo relacionado a banheiro.

Nós pedimos sorvete e uma água, pois a gente só queria mesmo conhecer o restaurante, e olha como chegou nosso delicioso sorvete:

Hahahha É bem estranho, mas muito divertido! Também compramos um imã de geladeira com a nossa foto que um cara fez na hora pra gente lá dentro, custou 300 Rublos.

Descobri também que a crise econômica chegou na Disney, e o Mickey agora faz bicos para esse restaurante entregando panfletos na rua. kkkk tadinho gente!

Saindo de lá fui rodeada desses seres que tiram foto por dinheiro e praticamente me obrigaram a tirar essa foto! Preferia tirar com o Mickey, mas tudo bem.

Ainda tive que pagar por esses bichos feios pela foto ridícula rs.

Para finalizar o post deixo aqui minha sincera opinião sobre Moscou…

Definitivamente não é uma cidade preparada para turismo. Fiquei bem estressada com essa coisa de não poder se comunicar direito e não ser bem recebida em alguns locais.

Mas apesar dos apesares, indico sim ir, achei linda e encantadora! O frio também é suportável, é só se agasalhar bem e ser feliz!

Deixem suas dúvidas ou o que achou do post aqui nos comentários! Ficarei feliz em falar mais sobre essa experiência!

Beijos e te vejo no próximo post!

Comentários

Comentários

Uma ideia sobre “Viajando para Moscou | Rússia

  1. Olá,

    Tudo bom?
    Adorei seu post!!
    Estou indo para Moscou em setembro e gostaria de tirar umas duvidas.
    É obrigatório reservar o bunker ou pode chegar lá e visitar? Ou a reserva é somente se for com visita guiada? Pode entrar sem ser visita guiada? Tem diferença de preço? Você lembra a estação de metro próximo ao bunker?

    Beijos,

    Louise

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *